sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Malandro Arrependido

Através do casos
Que tive
Tenho a certeza
Aquele velho amor sobrevive
Apesar dos acasos
Típicos de quem realmente vive
Sei que fora dos trilhos está a beleza
E também as incertezas das quais nunca se prive
Dizia isso, mas aquele amor pede novamente seu espaço
E tudo agora resume-se a firmeza de teu abraço
Todas as outras são lembranças
Fugazes como as de crianças
E meu infinito torna-se escasso
Obsessivo por seu cheiro e traço
Mesmo sabendo que matei tudo de bom, lambanças
Os meus sonhos são livres
E guardam uma angustiada esperança.

Um comentário:

  1. Adorei seu texto ;D
    Muiito bom faz a gente pensar um pouco.
    beiijos ;*

    ResponderExcluir